Cruzes Canhoto!
Cruzem-se connosco em cruzescanhoto@mail.pt
9/26/2003

ENFARDADEIRA AUTOMÁTICA - Morria eu para aqui de inveja por não ter sido o alvo da excelente zombaria do Jaquinzinhos, e eis que Opinion Desmaker tem a suprema gentileza de me dedicar um texto inteirinho sobre Enfardadeiras Automáticas. Confesso desde já que não tenho qualquer pevide para Enfardadeiras Automáticas, mas o António explica cuidadosamente que estes são um: "equipamento empolgante porque transforma um amontoado balofo de coisas num volume condessado e reduzido; coisas essas que dispersas fazem imenso transtorno, ocupam um espaço despropositado, e incapacitam-no para outras utilizações mais interessantes e produtivas" cujas vantagens são "reduz espaço, homogeneíza aparentes contrários e os ?rabos de fora? nunca ficam completamente soltos" mas têm o defeito de a "compactação deve ser envolvida num fio tenso de pressupostos (designação técnica para preconceito)". Vejamos, vejamos, vejamos: sim, entre o muito material que tinha fiz um apanhado dos factos que me pareceram mais relevantes, descartando os que me pareceram inúteis para a questão em causa a fim de o artigo ter apenas 7 páginas A4 e não 70; sim, essa selecção foi kantiana, ou seja, parti dos conhecimentos que tinha a priori para pesquisar e seleccionar esses mesmos factos tal como as Enfardadeiras Automáticas mais sofisticadas têm uma memória ROM inapagável que lhes permite enfardar. Noto com tristeza, que o meu desempenho de enfardanço foi no entanto bastante desleixado visto que deixei uma série de "rabos de fora" (termo técnico de links) para algumas páginas onde pesquisei informação e onde quem estivesse interesado poderia confirmar, alargar ou refutar essa informação. Portanto: pesquisar informação, seleccionar informação e elaborar um "concentrado suavemente cúbico e de fácil manuseamento" para os leitores é o procedimento típico de uma enfardadeira automática e como tal é a designação mais apropriada para mim e para os autores de teses académicas, livros de divulgação científica, comunicações académicas, artigos científicos, artigos enciclopédicos, notícias de jornal, artigos de imprensa, relatórios de contas, relatórios de estudos científicos, estudos de ciências sociais, histórias nacionais e mundiais, resenhas bibliográficas, romances históricos, diários pessoais, estudos bíblicos, sermões dominicais, documentários televisivos, filmes, discursos políticos e blogues... Sim, admito que entre as dezenas de ideias, notícias, artigos situações e páginas que passam diariamente por mim selecciono só alguns para aparecer no blogue. Mea culpa, mea culpa... o que eu gostava de ter a capacidade do António de relatar no seu blogue tim-tim por tim-tim tudo o que pensou ou fez durante o dia.
Sempre pensei que Deus fosse o Alfa e o Omega, mas o Desmaker tem ainda a paciência de me explicar que, para os ingleses, Deus é o "etc.". A imagem tem uma certa ressonância poética, mas espero que não fosse esse o "etc." de que o outro António falava. De qualquer forma obrigado pelo aviso, António, de ora em diante escreverei sempre "Etc." com letra maiúscula para mostrar o respeito. Vai em paz, António e que o Et Coetera esteja contigo. J

Comments:


Ouem?

Blogue lusografo de comentario opinativo, irreverente, destrutivo e nao registado na SPA.



Arquivos

Arquivo
Página


Weboteca

Alertnet
Alternet
Arts & Letters
American Prospect
The Atlantic
Auto da Fe
BBC
Boston Globe
Courrier International
Granta
The Guardian
Harpers
Indymedia
Magazine Litteraire
Metamute
New Left Review
New Yorker
News Google
News Yahoo
NY Review of Books
The New York Times
Political Theory
Salon
Slate
Science & Technology
Wired
World Press


Blogoteca

Homage to Catalonia, G. Orwell
Folies Simultanees, J. Lacan
Historia do Estabelecimento da Inquisicao..., A. Herculano
Dieser Friede, T. Mann
Pentesileia, H. Kleist
Les Demoiselles D'Avignon, W. Rubin
O livro de Cesario Verde
Antropologia Estrutural, C. Levi-Strauss
Naked Lunch, W. S. Burroughs
O Fim da Aventura, G. Greene
The soul of man under socialism, O. Wilde
Quadrado
O Aleph, J. L. Borges
Diplomacy, H. Kissinger
A cor do tempo quando foge, B.S. Santos
A minha vida, Lou-Andreas Salome
Gengangere, H. Ibsen
Against the current, I. Berlin
Conversas de Cafe
Piano Magico, E. A. Cebolo
RootsWorld
De direita
Bouvard et Pecuchet, G. Flaubert
Tom Gordon, S. King
Haiku Handbook,W.J. Higginson
How to read a film, J. Monaco
Why Socialism?. A. Einstein
Minha vida, Suzana Flag
Os prazeres de Alfredo Saramago
Three men on a boat, J. K. Jerome
Livro de Estilo
A Murraca, C. Castelo Branco
Constitution of Liberty, F. Hayek
Mil Folhas
Wealth of Nations, A. Smith
A alma nao e pequena, v. h. mae e j. reis-sa¡
Zona Non
Planning for freedom. L. Mises
O canto e as armas, M. Alegre
Tale of a Tube, J. Swift
75 years of the Oscar, R. Osbourne
Mensagem, F. Pessoa
O General no seu labirinto, G.G. Marques
E pasta e basta!, M.L. Goucha
Ferida Amavel, E. Goncalves
Sobre os espelhos, U. Eco
Ate na prisao fui roubado!, A. Agostinho
Arcos e Pérgulas
Nocturnos, T. Waits
Illuminati, R. A. Wilson
No Reino da Dinamarca, A. O'Neill
Curso de Portugues, A. Areal
Lux
Alcorao
Miss Julie, A. Strindberg
Super Flumina Babylonis, Jorge de Sena
Dies Irae, P.K. Dick
Clio, Herodoto
A cultural history of menstruation, J. Delaney
Tudo o que se passa...,
O Fisico Prodigioso, J Sena
Analog
As melhores historias de gatos
Treason, Ann Coulter A condicao das classes trabalhadoras, F. Engels
Livro do profeta Isai­as




In Association with Amazon.co.uk