Cruzes Canhoto!
Cruzem-se connosco em cruzescanhoto@mail.pt
3/05/2004

PASSANDO AGORA À CONVERSA COM GENTE INTELIGENTE - A minha observação ao Miniscente foi respondida por este e também pelo FJV com sobriedade e algumas palavras amáveis que agradeço. Gostava só de acrescentar algumas coisas, começando por agradecer sinceramente ao Alberto Gonçalves o recente despique que tive com ele. Não é que compre minimamente os palestinianos com aspas, mas o facto é que a polémica provocou-me algumas reflexões que se revelaram muito úteis fora dos blogues e em assuntos que não têm nada a ver com política ou mesmo o Médio Oriente. Ora é exactamente isso que me leva a blogar. Gosto dos blogues como leitor, pois aprendo e descubro muita coisa, mas tenho um blogue para pensar e questionar aquilo que leio. Alguém, sou terrível com citações, disse que escrever é pensar e efectivamente criei o Cruzes Canhoto para poder discutir com outros sobre assuntos que me interessem e assim aumentar a minha capacidade de compreensão sobre estes. Ter um blogue de impressões do dia-a-dia, confissões ou recados não teria grande interesse para mim, mas acho muito bem que existam e até leio vários. Prefiro, contudo, discutir com pessoas inteligentes, cordatas e joviais. Por isso leio frequentemente blogues com ideias diferentes de mim e os interpelo. Deste modo obrigo-os a ir mais fundo nas suas ideias e mais fundo nas minhas próprias, permitindo um estímulo cerebral que boa parte das conversas do dia-a-dia não permitem. É certo que há vezes em que as polémicas intelectuais e irreverência se podem confundir com ataques pessoais ou insultos. Admito também que personalidades mais mediáticas atraiam invejosos ou um número muito maiores de opositores do que anónimos anódinos como eu. Receio é que tal seja o preço da fama e não veja grande forma de lhe escapar. E, tal como os papparazzi não largam os famosos por estes lhes atirarem pedras, duvido muito que esses blogues que falam se calem só porque os criticam. Por outro lado, responderem-lhes sem dizer de quem falam parece-me pernicioso: imaginem que o Manuel Maria Carrilho, em vez de tirar a máquina fotográfica directamente ao jornalista em causa, tinha desatado a correr pela rua a insultar ou a bater em toda gente que passava com uma máquina fotográfica a tiracolo. Quanto à "surdez", Francisco, acho que ela é sempre inevitável. Tal como há milhões de pessoas que não ouvimos todos os dias, porque não podemos ou não queremos, há milhares de blogues que não lemos, exactamente pelos mesmos motivos. Mas ao contrário da sociedade, onde a nossa capacidade de escolher as pessoas com que queremos dialogar é muito restrita, na blogosfera essa liberdade é quase total, pelo que me parece que se alguém se deixa aqui amedrontar porque o rebatem, receio bem que no mundo real não tenha grandes hipóteses. Afinal, a blogosfera não é um mundo perfeito, visto que os seus elementos também não o são, mas creio que o seu todo é muito mais que a soma das partes.

Comments:


Ouem?

Blogue lusografo de comentario opinativo, irreverente, destrutivo e nao registado na SPA.



Arquivos

Arquivo
Página


Weboteca

Alertnet
Alternet
Arts & Letters
American Prospect
The Atlantic
Auto da Fe
BBC
Boston Globe
Courrier International
Granta
The Guardian
Harpers
Indymedia
Magazine Litteraire
Metamute
New Left Review
New Yorker
News Google
News Yahoo
NY Review of Books
The New York Times
Political Theory
Salon
Slate
Science & Technology
Wired
World Press


Blogoteca

Homage to Catalonia, G. Orwell
Folies Simultanees, J. Lacan
Historia do Estabelecimento da Inquisicao..., A. Herculano
Dieser Friede, T. Mann
Pentesileia, H. Kleist
Les Demoiselles D'Avignon, W. Rubin
O livro de Cesario Verde
Antropologia Estrutural, C. Levi-Strauss
Naked Lunch, W. S. Burroughs
O Fim da Aventura, G. Greene
The soul of man under socialism, O. Wilde
Quadrado
O Aleph, J. L. Borges
Diplomacy, H. Kissinger
A cor do tempo quando foge, B.S. Santos
A minha vida, Lou-Andreas Salome
Gengangere, H. Ibsen
Against the current, I. Berlin
Conversas de Cafe
Piano Magico, E. A. Cebolo
RootsWorld
De direita
Bouvard et Pecuchet, G. Flaubert
Tom Gordon, S. King
Haiku Handbook,W.J. Higginson
How to read a film, J. Monaco
Why Socialism?. A. Einstein
Minha vida, Suzana Flag
Os prazeres de Alfredo Saramago
Three men on a boat, J. K. Jerome
Livro de Estilo
A Murraca, C. Castelo Branco
Constitution of Liberty, F. Hayek
Mil Folhas
Wealth of Nations, A. Smith
A alma nao e pequena, v. h. mae e j. reis-sa¡
Zona Non
Planning for freedom. L. Mises
O canto e as armas, M. Alegre
Tale of a Tube, J. Swift
75 years of the Oscar, R. Osbourne
Mensagem, F. Pessoa
O General no seu labirinto, G.G. Marques
E pasta e basta!, M.L. Goucha
Ferida Amavel, E. Goncalves
Sobre os espelhos, U. Eco
Ate na prisao fui roubado!, A. Agostinho
Arcos e Pérgulas
Nocturnos, T. Waits
Illuminati, R. A. Wilson
No Reino da Dinamarca, A. O'Neill
Curso de Portugues, A. Areal
Lux
Alcorao
Miss Julie, A. Strindberg
Super Flumina Babylonis, Jorge de Sena
Dies Irae, P.K. Dick
Clio, Herodoto
A cultural history of menstruation, J. Delaney
Tudo o que se passa...,
O Fisico Prodigioso, J Sena
Analog
As melhores historias de gatos
Treason, Ann Coulter A condicao das classes trabalhadoras, F. Engels
Livro do profeta Isai­as




In Association with Amazon.co.uk